MISSÃO

Promover a garantia de direito dos adolescentes e jovens através de ações que permitam o reconhecimento das habilidades, potencialidades dos usuários,favorecendo o fortalecimento dos vínculos familiares, estimulando a consciência cidadã a inclusão social e no mundo do trabalho.

VISÃO

Ser reconhecida pelo desenvolvimento dos programas, projetos e serviços de proteção social e de garantia de direitos dos adolescentes e jovens fortalecendo-os enquanto cidadãos inquisitivos, críticos e protagonistas de uma sociedade justa, equânime e igualitária.

VALORES

Ética, respeito, transparência, solidariedade e responsabilidade.

AÇÕES DESENVOLVIDAS

OFICINAS SOCIOEDUCATIVAS

O CAMP Centro atua prestando serviços e desenvolvendo ações socioassistenciais de forma gratuita, continuada, permanente e planejada, prioritariamente, para adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade ou risco social e pessoal, com ou sem deficiência, residentes na cidade de São Paulo.

Oferta condições para que os jovens sejam integrados no mundo do trabalho, por meio de atividades socioeducativas, propiciando-lhes formação política-cidadã, proteção social e garantia de direitos, contribuindo para o seu desenvolvimento integral, construção da autonomia, convívio social, protagonismo e exercício pleno da cidadania.

TRABALHO SOCIAL NO TERRITÓRIO

A entidade está localizada na região central da cidade de São Paulo, no bairro da Liberdade. Administrado pela Subprefeitura da Sé, segundo censo realizado no ano de 2010, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o bairro tem cerca de 3,70 km² e uma população de 69.092 habitantes, com Índice de 32.

Podemos perceber que o território carece de serviços socioassistenciais enquadrados na proteção básica, com ações que possam prevenir situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, como os ofertados pelo CAMP Centro. A entidade possui 2(dois) grandes diferenciais, em virtude de sua localização. O primeiro está atrelado ao fato de pertencer a uma região com grande potencial econômico e empregatício formado pelo setor comerciário, o segundo por estar privilegiadamente alocada nas proximidades das principais linhas de ônibus e metrô que cortam a cidade, proporcionando uma facilidade na mobilidade, o que nos permitiu atender usuários das regiões sul, leste, oeste e norte e classificados como regiões de alta ou altíssima vulnerabilidade pelo Índice Paulista de Vulnerabilidade Social – IPVS.

TRABALHO SOCIAL REALIZADOS COM AS FAMÍLIAS

Ao considerar a família como primeiro e mais importante polo formador dos    indivíduos e base estrutural da vida comunitária e social o trabalho com famílias segue as diretrizes de Política Pública Nacional de Assistência Social e NOB – SUAS, bem como, em consonância com o Plano Municipal de Assistência Social. Desenvolvendo ações de “Proteção Social” aos usuários e suas famílias visando à superação de suas necessidades ofertando um ambiente que contribua com uma reflexão critica da realidade, atentando-se para a compreensão na perspectiva sócio cultural, contribuindo para o empoderamento da família, o desenvolvimento da autonomia e participação no território, a ampliação da sua capacidade protetiva, respeitando a heterogeneidade dos arranjos familiares e apresentando a assistência social para além do assistencialismo e sim como um direito social de cidadania. Dentre estas ações destacam-se duas como fundamentais para o estabelecimento de um vinculo de confiança e acolhimento das famílias:

 

  • Atendimentos Individuais:  Através de um ambiente acolhedor e  de escuta ,por meio dos atendimentos individuais  que permita identificar as demandas das famílias atendidas realizando encaminhamentos para a rede de serviços e articulação com o sistema de garantia de direitos e demais políticas
  • Grupos de Reflexão e reuniões:   Realizados mensalmente com o intuito de desenvolver ações que contribuam para a convivência, a identificação das potencialidades e vulnerabilidades presentes nos membros familiares e no território de vivencia, fortalecendo e reconhecendo  direitos e possibilidades de intervenção na vida social das famílias. Ofertando um espaço de convivência que permita realizar discussões e reflexões acerca do modo como são produzidos e reproduzido as relações na sociedade, contribuindo consideravelmente para o desenvolvimento da pertença das famílias e principalmente para a disseminação da compreensão de família enquanto núcleo protetivo capaz de protagonizar mudanças comunitárias.